terça-feira, 29 de maio de 2012

Diário de Viagem - Den Haag 27 de maio de 2012

No dia 27 de maio aconteceu a fase final do Torneio de Den Haag. O moral da moçada estava altíssimo e estávamos muito bem preparados para vencer a semi-final.

Na foto acima vemos a rapaziada pronta para o desafio que se avizinhava. Ao meu lado, Juninho (o mais baixo que eu), menino raçudo e que não perde uma dividida, seja com os pés ou com a cabeça, a quem apelidamos Montillinho, pois seu futebol lembra muito o craque argentino.
Incrível a força que o Cruzeiro possui na Europa. Onde se vai, encontram-se pessoas que reconhecem nosso uniforme e até mesmo torcem para nosso time. Em Den Haag não foi diferente e havia muitos torcedores com camisas do Cruzeiro, como mostram as fotos abaixo.



Jogamos a primeira partida às 12:00 hs contra o time alemão Borussia Mönchgladbach e fomos derrotados pelo placar de 1x0, gol que ocorreu logo durante os primeiros minutos da partida. Infelizmente não conseguimos reverter o placar e ainda tivemos o nosso artilheiro Léo Bonatini envolvido em uma confusão, com um alemão, que resultou sua retirada do campo. Saímos da partida derrotados e com o escopo de conseguirmos o terceiro lugar  no campeonato.
O Cruzeiro perfilado para ouvir o hino nacional. Muita emoção vendo a imagem do Cruzeiro resplandecer também na Europa!
Após o almoço, me rendi ao costume dos holandeses que tiram o domingo para irem aos parques onde fazem churrasco e se esbaldam na grama curtindo o abundante sol de primavera: deitei em uma sombra e dormi mais de quarenta minutos. O Dr. Cesário estava também aproveitando a sombra e me disse que os holandeses se divertiram muito com o som dos meu roncos...
Nota: eu tirei esta foto.
Mais tarde aconteceu o jogo que valia o terceiro lugar contra a Seleção da Escócia. Jogo muito pegado e com forte marcação por parte deles. Vencemos por 1x0 gol de nosso também artilheiro Pedro Paulo. Há que se ressaltar as boas atuações que Pedro Paulo teve em todas as partidas que participou. Sempre foi decisivo e deixou sua marca várias vezes.
Após a final entre Borussia e Seleção do México (que venceu o torneio), houve a entrega dos troféus e além do troféu referente ao terceiro lugar, para nossa surpresa e alegria nosso goleiro Charles recebeu o seu troféu de goleiro menos vazado e melhor goleiro da competição. É o Cruzeiro fazendo escola de grandes goleiros.






Após o jogo nos dirigimos ao hotel, com mais um troféu e nos preparamos para o terceiro e último torneio, o de Amsterdam.
Aqui termina o diário de viagem, que não teve a intenção de ser nada além do que é: um resumo do que o Cruzeiro realizou na Europa, na visão de um Conselheiro e Torcedor.
Retorno antes da delegação para Belo Horizonte, tendo em vista que no domingo, dia 03 de junho, estarei na Savassi participando da VI Festa Tradicional Italiana, que se tornou a maior festa de rua, não oficial, de Belo Horizonte!
Nos vemos na Savassi!
Ciao!


5 comentários:

  1. Caro Anisio, gostaria de fazer algumas perguntas. Alguns torcedores do Cruzeiro estão dizendo que os meninos da base estão fatiados com empresários, ou seja, não pertencem ao Cruzeiro totalmente. Até onde isto é verdade? E que o atual vice- presidente, José Maria Fialho fará a limpa na base, sumindo com os que são fatiados. Isto também é verídico? E por tudo isto, não veremos os garotos da nossa base no time principal tão cedo. O que procede ou não? Em sua opinião, quais seriam os jovens mais indicados para treinar no profissional? No mais, muito obrigado por nos manter antenados com o futuro do clube.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Anísio.
    Reforço as perguntas do amigo Harry. Essas questões correm meio mundo e todos querem saber. Dizem que onde há fumaça, há fogo. E também que o povo aumenta, más não inventa. Até onde isso se fundamenta?
    Belo trabalho.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  4. Caros amigos,
    Os jogadores das divisões de base são também, a exemplo dos profissionais, assediados por diversos tipos de empresários. A maioria não pensa no investimento que o clube faz junto ao atleta, pensando somente no lucro que transações com atletas geram. Há empresários que pagam aos meninos valores consideráveis para que os atletas não renovem com os clubes. Esperam o contrato atual vencer e depois negociam diretamente com outros clubes. Há também jogadores da base que já chegam aos clubes levados por empresários, que já possuem direitos sobre os atletas, se é o que vocês chamam de fatiados. Quanto ao vice-presidente que dirige a base, não é o Zé Maria. Trata-se do Márcio Rodrigues que está com os juniores aqui na Holanda. Um abraço, Anísio.

    ResponderExcluir
  5. Obrigado pelo retorno. Em sua opinião, quais seriam os jogadores da base mais indicados para treinar no profissional, ainda este ano? quais as características que mais sobressaem destes?

    ResponderExcluir